Dor de cabeça tem cura?

Com os conhecimentos atuais não é possível ainda prometer aos pacientes antecipadamente o desaparecimento completo das dores de cabeça recorrentes. Este fato pode ocorrer em alguns casos, mas o médico não tem como prever quem responderá melhor e quem responderá pior ao tratamento. Em todo o caso, com os medicamentos existentes hoje, uma avaliação pormenorizada tem chances de levar a um tratamento que possa reduzir significativamente as dores de cabeça.

Não existem curas milagrosas ou remédios fantásticos contra as dores de cabeça, seja dentro da medicina tradicional, seja dentro das chamadas práticas alternativas. Bom senso, dedicação, seriedade, ciência e paciência são armas importantes contra as cefaléias crônicas.

O uso repetido de analgésicos para tratar dor de cabeça recorrente é prática inadequada e tende a agravar o problema a longo prazo. As dores de cabeça às vezes se tornam mais resistentes ao analgésico e o paciente aumenta progressivamente a dose. Além disto, a frequência da dor pode aumentar progressivamente e levar o paciente a usar analgésicos todos os dias em doses cada vez maiores. Dores de cabeça frequentes não podem ser tratadas com analgésicos, e sim com medicamentos preventivos. O analgésico é arma eficaz apenas contra dores de cabeça esporádicas. O uso de medicamentos preventivos ou profiláticos na maioria das vezes reduz significativamente o número de crises de dor de cabeça, que podem melhorar em duração, intensidade e frequência.

O objetivo do tratamento não deve ser eliminar a dor de cabeça completamente, mas reduzi-la ao máximo a fim de provocar uma melhoria na qualidade de vida do paciente.