Enxaqueca Menstrual

Pacientes com enxaqueca menstrual são consideradas aquelas com crises de enxaqueca que aumentam sua freqüência durante o período menstrual, e constituem cerca de um terço das pacientes com enxaqueca. No entanto, enxaqueca menstrual verdadeira são crises que ocorrem apenas entre  os dias -2 (dois dias antes do inicio da menstruação) e +3 (três dias depois) do ciclo menstrual, e em nenhum outro dia fora deste período. Neste critério mais restrito, encontram-se apenas 7% das pessoas com enxaqueca.        

Enxaqueca menstrual ocorre provavelmente pela queda dos níveis do hormônio estrógeno.

O tratamento medicamentoso da enxaqueca menstrual engloba medicações preventivas, abortivas da crise e terapias hormonais. Anti-inflamatórios, ergotaminas e triptanos podem ser usados para o tratamento da crise de enxaqueca, e estas mesmas medicações podem ser usadas numa estratégia chamada de prevenção de curto prazo, utilizando-as durante o período previsto de ocorrência das crises durante o período menstrual, geralmente de 5 a 7 dias. Medicações profiláticas normalmente utilizadas no tratamento preventivo da enxaqueca (antidepressivos, beta-bloqueadores, anticonvulsivantes) podem ser utilizadas durante todo o ciclo menstrual caso a paciente não responda a estratégia de prevenção de curto prazo.

Terapias hormonais também podem ser utilizadas no tratamento da enxaqueca menstrual, particularmente os patches transdérmicos de estrógeno. Danazol, tamoxifeno e bromoergocriptina podem ser benéficos nos casos resistentes. Tanto a histerectomia quanto a ooforectomia não são efetivas no tratamento da enxaqueca menstrual.